Como uma consultoria pode contribuir na implantação de uma infraestrutura virtual?

infraestrutura virtual

Não é simples optar por uma infraestrutura virtual de Tecnologia da Informação. Afinal, é uma medida que muda bastante a maneira de gerenciar os ativos de TI. Para minimizar os impactos dessa iniciativa e obter bons resultados em curto prazo, é recomendado contar com o suporte de uma consultoria especializada.

Dessa maneira, os trabalhos para implementar uma infraestrutura virtual poderão ser realizados com mais eficiência e profissionalismo. Isso é imprescindível para uma empresa otimizar o uso dos recursos tecnológicos e estar mais inserida nas tendências impostas pela transformação digital.

Neste artigo, vamos apresentar como um atendimento especializado pode contribuir para a virtualização da infraestrutura de TI. Confira!

O passo a passo durante a implantação de uma infraestrutura virtual

Há uma série de procedimentos necessários para implantar uma infraestrutura virtual, de acordo com as melhores práticas. Para te ajudar a entender isso com clareza, vamos mostrar as ações ideais para executar essa atividade corretamente. Acompanhe!

1 – Análise do cenário atual

O trabalho de uma consultoria nesse processo começa com uma avaliação de como está a infraestrutura tecnológica de uma empresa no momento atual. Essa iniciativa é muito importante para dimensionar o que deve ser feito durante a mudança na forma de gerenciamento dos ativos de TI.

À medida que a análise da situação de momento for devidamente executada, maiores são as possibilidades de implantar a infraestrutura virtual de forma exemplar. Essa avaliação também causa um grande impacto na montagem das demais fases do processo.

É importante destacar que cada empresa tem uma realidade a ser levada em consideração. Por isso, analisar o cenário é uma prática que deve ser feita com bastante atenção e cuidado para estipular os próximos passos corretamente.

2 – Compreensão da infraestrutura existente

A partir da avaliação, uma consultoria tem condições de compreender a infraestrutura atual de uma companhia em termos tecnológicos. Essa ação contribui para verificar o que pode ser virtualizado. Também colabora para constatar como a cultura da empresa está preparada para a virtualização.

Em outras palavras, ajuda a mensurar o grau de maturidade institucional para contar com uma infraestrutura virtual. Com certeza, isso vai nortear os trabalhos dos consultores, o que é bastante válido para executar as mudanças na gestão de TI de maneira prática e ágil, sem causar prejuízos ao andamento dos trabalhos.

3 – Definição do espaço do usuário

De que maneira a virtualização vai impactar na atuação dos funcionários no dia a dia? Inegavelmente, uma consultoria ajuda bastante a encontrar a resposta, porque fornecerá os subsídios necessários para estabelecer como cada usuário, de acordo com as necessidades, pode usufruir dos serviços de TI.

A definição do acesso dos funcionários aos recursos da infraestrutura virtual é uma medida bastante válida não apenas para dar mais rapidez ao processo de mudança, mas também para tornar o ambiente mais seguro e menos vulnerável aos ataques cibernéticos. 

Atualmente, a segurança da informação tem um grande peso na reputação e no nível de competitividade. Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), as companhias devem ter um maior cuidado ao armazenar as informações, porque falhas que provoquem roubos ou vazamentos podem resultar em multas de até R$ 50 milhões.

4 – Mapeamento das soluções

Para aproveitar a infraestrutura virtual com eficiência, um bom caminho é fazer uma análise das melhores soluções do mercado para utilizar essa tecnologia corretamente. A recomendação é contar com um suporte de uma consultoria para avaliar como os fornecedores podem ajudar na virtualização dos recursos de TI.

Nem sempre uma empresa tem à disposição profissionais de Tecnologia da Informação que possuem um elevado conhecimento sobre as melhores ferramentas do mercado. Uma escolha equivocada sobre como implementar a infraestrutura virtual pode prejudicar bastante os resultados a serem atingidos por meio desse processo.

Também vale destacar que uma consultoria pode indicar um ou mais fornecedores qualificados para atuar na virtualização. Dependendo do cenário, uma empresa pode precisar de uma ou mais soluções para obter um melhor desempenho com essa tecnologia.

5 – Realização de testes

É comum haver receios sobre mudanças impactantes no gerenciamento dos ativos de TI. Em razão disso, é interessante fazer testes para verificar como a implantação da infraestrutura virtual deve ser feita para englobar a organização de maneira ampla.

Com a orientação de uma consultoria, podem ser realizados testes englobando uma ou mais áreas da empresa. Dessa forma, podem ser identificados pontos a serem melhorados para a virtualização dos ativos ser bem-sucedida em curto prazo.

À medida que uma organização constata os riscos que uma mudança pode provocar, mais ela estará preparada para implementar ações que minimizem a possibilidade de haver interrupções nos serviços. Esse fator mostra como a realização de testes deve ser levada a sério ao virtualizar a infraestrutura.

6 – Foco na implementação e na gestão

 A partir dos resultados dos testes, pode ser agendada uma data para implantar a infraestrutura virtual em toda a instituição. É essencial que o calendário seja respeitado, considerando os recursos ideais para executar a mudança e a continuidade dos serviços disponíveis para o público-alvo.

Uma consultoria pode perfeitamente ajudar nesse processo, porque é capaz de apontar como gerenciar esse processo. Além disso, pode contribuir para ser criada uma cultura voltada para a melhoria contínua do aproveitamento dos ativos virtualizados.

Com uma gestão atenta ao desenvolvimento dos trabalhos para a implementação da nova infraestrutura, uma companhia terá condições de conseguir resultados notáveis rapidamente com a mudança.

A infraestrutura virtual é para sua empresa?

Com um bom planejamento, a virtualização pode ser explorada por organizações de diversas finalidades e tamanhos. Atualmente, esse processo tem proporcionado ganhos consideráveis para vários segmentos.

Um dos motivos é que as empresas de diversos mercados e tamanhos precisam de muita agilidade para gerenciar as informações. Isso exige um elevado grau de flexibilidade para expandir o potencial de administrar os dados, aspecto que pode ser facilmente resolvido com a infraestrutura virtual.

Setores de saúde e de educação, por exemplo, estão explorando os benefícios da virtualização. Nessas áreas, é muito importante adotar mecanismos eficientes para proteger os dados e elevar a capacidade de armazenar as informações em curto prazo.

Conheça a StorageOne

Com mais de 20 anos de experiência em projetos de TI, a StorageOne se caracteriza por oferecer soluções customizadas para as demandas dos clientes de vários segmentos, educação, indústria, varejo, governo, entre outros.

Assim, a empresa fornece um atendimento especializado para implementar a infraestrutura virtual seguindo boas práticas, o que é imprescindível para atingir resultados dentro ou acima das expectativas ao optar por essa tecnologia.

Se pretende utilizar os recursos de TI de forma mais estratégica e inteligente, entre em contato conosco agora mesmo. Estamos à disposição para iniciarmos uma parceria de sucesso! 

Qual a relação entre compliance e segurança da informação?

compliance e segurança

Dois conceitos que devem andar de mãos dadas no mundo dos negócios e da tecnologia, mas que são distintos entre si. Um rege toda a área de tecnologia e seus expoentes, de dentro para fora – enquanto o outro traz leis e regras externas para o contexto da própria organização.

Com empresas cada dia mais dependentes da inovação, e com mais variáveis jurídicas e legais que surgem, é preciso estar atento a todos esses detalhes. Como, por exemplo, coletar, armazenar e utilizar dados de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados, que rege tanto o âmbito jurídico (com processos legais) e também de tecnologia.

E se a informação é um dos maiores patrimônios de qualquer empresa, ela precisa estar segura e de acordo com várias regras e regimes.

Para conhecer as duas ideias e como elas se relacionam, basta continuar lendo o artigo. Aqui te explicaremos todos os detalhes para entender o que cada conceito é, suas diferenças e os benefícios que essa junção pode trazer para a sua empresa.

Compliance em TI

O termo em inglês, de forma literal, significa “estar em conformidade com”. Isso significa que a organização, o software ou quaisquer materiais precisam estar em conformidade com as leis e regras – locais, mundiais e da própria companhia.

O compliance deve monitorar e assegurar que todas as práticas realizadas estejam de acordo com as diretrizes de segurança, integridade e ética. Na prática, isso se transforma em garantir que tudo remetente à tecnologia da empresa seja realizado conforme os manuais de marca, código de conduta e políticas da corporação voltadas ao combate à corrupção e adoção de medidas preventivas.

Segurança da informação

Se o compliance é sobre seguir e estar dentro das regras, a Segurança da Informação é um pouco mais abrangente. O trabalho contínuo de manter todos os dados, equipamentos e recursos seguros vai um pouco além das melhores práticas.

A segurança irá ajudar a cercear as ações, em conjunto com o compliance, para que processos de segurança digital, gestão de TI e governança estejam atualizados e em vigor. Isso é válido para proteção de redes, sistemas, programas e dados.

Como os dois conceitos se relacionam entre si?

Os dois são fundamentais para que os processos da empresa sejam mais seguros e eficazes. A produtividade também aumenta exponencialmente, uma vez que os dados estarão em menor risco, assim como as operações do cotidiano.

Com menor probabilidade de vazamentos, invasões, processos legais e outros problemas, a companhia pode entregar seus produtos e serviços com maior qualidade. Isso agrega à empresa como um todo, já que proporciona um cenário competitivo no mercado como um todo. Quando os dois conceitos estão alinhados, clientes e parceiros entendem as entregas de forma íntegra e segura.

Um ótimo exemplo para a importância de ter ambos bem estruturados é a LGPD. A Lei Geral de Proteção de Dados deve ser verificada pelos setores de governança já que é algo de âmbito federal. A Segurança da Informação também tem um grande papel na LGPD e deve unir forças para garantir a segurança dos dados da empresa, dos usuários e dos clientes.

Principais diferenças entre compliance e segurança

Entrando em áreas mais técnicas, o compliance se difere da segurança tecnológica em alguns pilares.

A área de Segurança da Informação é a responsável pela confidencialidade, integridade, disponibilidade de dados e equipamentos, prevenção, detecção e resposta contra ameaças, além de tecnologia, processos e pessoas.

Já o compliance é uma ferramenta utilizada pela governança corporativa, gerindo obrigações legais, expectativas e condutas internas delimitadas pela gestão da companhia. É essa ferramenta que irá ditar o que deverá ser seguido de acordo com a indústria, setor e localização dos negócios.

Ainda que estejam em setores independentes, ambos os conceitos e áreas são igualmente obrigatórios para empresas de todos os portes. Operações mais seguras, com proteção de dados internos, externos e de clientes, evitam riscos que são altos demais para serem negligenciados por quaisquer uma das partes.

Como a compliance em TI ajuda a garantir a proteção dos seus dados?

O gestor de TI, em conjunto com todo o setor, é extremamente estratégico para reforçar políticas de compliance, unindo e integrando vários processos corporativos.

A empresa deverá ter uma política de segurança bem estruturada para evitar ataques, invasões e usos indevidos – para que equipes e gestores não corram riscos. Todos os meandros desta deverá levar em consideração as regras de compliance, assim como o monitoramento contínuo, bloqueio de conexões de torrent e atualização rápida e constante da infraestrutura.

Dessa forma, todos os dados, equipamentos e recursos ficam seguros: ameaças de segurança e de processos jurídicos são minimizados com o uso de rotinas e planejamentos.

Quando tais processos estão em uso, verificar erros, fatores e riscos que possam comprometer as normas internas se tornarão mais fáceis de detectar e resolver antes que façam quaisquer estragos.

Como comentamos anteriormente, ambos os conceitos andam lado-a-lado. A governança de TI poderá servir de apoio para todos os departamentos envolvidos nas áreas de compliance, como marketing, vendas, financeiro, jurídico e muitos outros. Da mesma forma, as regras internas implementadas auxiliarão a guiar e delimitar as normas de tecnologia.

A empresa como um todo recebe benesses dessa conjunção: maior segurança, menos erros e riscos aumentam a produtividade. Já a fiscalização e monitoramento garantem que todos os colaboradores, equipamentos e dados estão sendo gerenciados da melhor forma possível.

Transforme seu departamento de TI com a StorageOne

Para alcançar os melhores resultados, a sua empresa precisa do parceiro certo, que te ajude a criar e seguir as regras de compliance enquanto mantém todos os seus dados e ambientes seguros. Mas não basta ter um modelo geral – diferentes companhias precisam de diferentes planos, com estratégias customizadas para a sua empresa, seus objetivos e necessidades.

A StorageOne tem mais de 20 anos de experiência, em diversas indústrias, auxiliando empresas de diversos portes a se tornarem mais seguras, produtivas e lucrativas. Fale conosco e agende uma reunião com os nossos especialistas!

Cuidados que os gestores devem ter na migração para a virtualização de dados

virtualização de dados

O cuidado com a proteção de dados exige uma utilização mais estratégica dos recursos de TI. Em virtude da alta competitividade, as empresas precisam utilizar o orçamento de maneira inteligente para ter mais condições de manter o negócio presente no dia a dia dos consumidores. Tudo isso tem contribuído para haver um maior foco na migração para a virtualização.

Afinal, essa prática colabora não apenas para gerenciar os ativos de Tecnologia da Informação de maneira simplificada, mas também permite expandir a capacidade de administrar os dados sem fazer grandes aportes financeiros em equipamentos. Outro ponto positivo é criar um ambiente mais favorável para a terceirização do gerenciamento de TI, o que propicia mais profissionalismo e eficiência.

Neste artigo, vamos detalhar vários fatores relacionados com o processo de migrar dados por meio da virtualização. Confira!

Entenda como funciona a migração para a virtualização 

Esse processo abrange a realocação física de uma máquina virtual com todos os dados e recursos de um Data Center local. Sem dúvida, é uma iniciativa cada vez mais comum na conjuntura atual, porque também minimiza, na maioria dos casos, o risco de sofrer problemas relacionados com ataques virtuais.

Também vale destacar que essa prática viabiliza usar estrategicamente os recursos de TI, aperfeiçoar o gerenciamento de entregas, diminuir o consumo de energia e reduzir as despesas com licenças de software.

Por mais que uma empresa tenha uma equipe experiente no segmento de Tecnologia da Informação, é preciso ter cuidado durante a migração para a virtualização, porque se trata de um procedimento com elevado grau de complexidade.

Afinal, uma mudança na maneira de administrar os dados precisa de um planejamento muito bem estruturado para evitar problemas durante a transição, que possam afetar a disponibilidade e a qualidade dos serviços.

É comum haver uma mentalidade de que as operações virtuais podem ser feitas da mesma forma que as atividades locais. Contudo, esse pensamento pode fazer com que, ao migrar as informações, ocorram erros responsáveis por tornar o processo mais lento e oneroso.

Com o objetivo de tornar mais simples a migração para a virtualização, vamos apontar algumas iniciativas para executar esse procedimento da melhor forma possível. Acompanhe!

Estabeleça as prioridades

É fundamental ter um mapeamento dos dados que estão sob a responsabilidade da companhia, pois se trata do primeiro passo para ter uma dimensão do que vai ser transferido de maneira prioritária.

À medida que uma empresa adota um planejamento da migração para a virtualização ser feita de acordo com as melhores práticas do mercado, menores são os riscos de haver problemas que afetem a continuidade dos serviços digitais.

Esse cuidado de definir as informações a serem migradas contribui, por exemplo, para evitar que o site corporativo fique inacessível durante um período. Essa situação, com certeza, causa prejuízos financeiros e de reputação que, em alguns casos, dificilmente serão recuperados.

Opte pela solução mais adequada para o seu negócio

Inegavelmente, apostar na migração para a virtualização exige um olhar estratégico sobre as ferramentas de TI. Não basta apostar na cloud computing como uma alternativa para reduzir custos e elevar o nível de proteção dos dados. Também é necessário avaliar como essa tecnologia pode agregar valor ao negócio.

Esse procedimento é muito relevante para a migração ser planejada e implantada de forma responsável, sem nenhuma precipitação. Além disso, proporciona mais confiança para a equipe executar os trabalhos com eficiência e rapidez.

Conte com um provedor qualificado e focado em resultados

Uma migração para a virtualização precisa seguir procedimentos rigorosos para minimizar as falhas. Para isso ser feito com exatidão, um excelente caminho é escolher um provedor que entenda as necessidades do seu negócio de maneira plena.

Por isso, é recomendado fazer uma pesquisa detalhada de como cada um atua durante os trabalhos para migrar os dados. Essa prática é importante para constatar se os serviços serão executados dentro das prioridades da companhia.

Também é indicado verificar as ferramentas utilizadas e a reputação do provedor no mercado. Ao seguir esses passos, maiores são as chances de a migração ser executada no prazo estipulado e permitir que a sua empresa aproveite as vantagens da virtualização o mais rápido possível. 

Não tenha dúvidas de que a escolha do provedor é um passo valioso para migrar as informações com bastante cuidado. Afinal, é necessário um olhar atento para seguir as regras da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que prevê multas de até R$ 50 milhões em casos relacionados com roubo ou vazamento de dados.

Avalie a necessidade de um apoio especializado

É compreensível que as empresas tenham receio em executar a migração para a virtualização, pois é um procedimento que exige bastante cautela para evitar erros. Muitas companhias não possuem um corpo técnico de TI habilitado para realizar esse processo com excelência.

Por isso, é interessante avaliar a possibilidade de contar com o suporte de uma consultoria especializada em Tecnologia da Informação. A partir de uma orientação qualificada, torna-se mais fácil estipular todas as etapas para os serviços de migração de dados serem feitos de acordo com as expectativas.

Essa iniciativa também colabora para aumentar as possibilidades de optar pela solução ideal e pelo provedor mais adequado às necessidades corporativas. Com certeza, uma consultoria em TI de alto nível contribui para que a transição na forma de gerenciar os dados seja realizada corretamente.

Conheça a StorageOne

Para aproveitar o avanço tecnológico, uma medida inteligente é contar com um parceiro que adota boas práticas e conhece as soluções mais adequadas para o seu negócio. Por isso, é bom conhecer os serviços da StorageOne, que já atuou em projetos de Tecnologia da Informação para diversos setores, como educação, governo, indústrias e varejo.

Com uma equipe experiente, ajudamos diversas instituições a obter um melhor desempenho a partir do uso estratégico de recursos tecnológicos. Também temos uma grande experiência em gerenciamento de dados e infraestrutura de TI, o que nos permite contribuir decisivamente para que a migração para a virtualização seja bem executada.

Se está em busca de um parceiro qualificado e estratégico, entre em contato conosco agora mesmo. Queremos ajudar o seu negócio a se diferenciar da concorrência!

7 benefícios da virtualização de dados para sua gestão em TI

beneficios da virtualização de dados

O desenvolvimento de novas tecnologias traz uma série de benefícios para a gestão de um negócio. A virtualização de dados, por exemplo, proporciona ajuda a otimizar processos e traz diversos benefícios para a TI e a empresa como um todo. Por isso, adotar essa estratégia é fundamental para se manter competitivo na área.

Tecnologias relacionadas à virtualização e à computação em nuvem têm sido adotadas em escala cada vez maior. Segundo dados da consultoria Gartner, por exemplo, foram movimentados mais de 145 bilhões de dólares em 2017 no mercado de nuvem.

Quer saber como implementar esse tipo de projeto no seu negócio e melhorar a sua gestão? Então, confira a seguir mais informações sobre a virtualização e conheça os seus benefícios!

A virtualização de dados na gestão de TI

A prática da virtualização é bastante comum no mundo da TI. Ela consiste, basicamente, em construir uma versão virtual de alguma coisa a partir de um mesmo hardware. Sendo assim, é possível criar ambientes com finalidades específicas em um servidor local ou externo.

O desenvolvimento que levou à criação dessa tecnologia remete a algumas décadas atrás. Com ela, os gestores e administradores de TI conseguiram mais ferramentas para evitar o desperdício de poder de processamento.

Portanto, essa tecnologia pode ser utilizada por empresas de diferentes portes que atuem com mais de um servidor. A grande inovação está justamente na sua capacidade de emular virtualmente um hardware físico e suas funcionalidades.

Tendo isso em mente, é importante conhecer os diferentes tipos de virtualização. Veja a seguir quais são os mais comuns.

5 Tipos de virtualização em TI

A virtualização é um processo que confere maior flexibilidade e agilidade na TI. Ela pode ser aplicada tendo em vista dados, servidores e até mesmo sistemas operacionais. Portanto, por meio desse processo podemos realizar uma gestão de dados que não precisa lidar com a manutenção do equipamento físico.

Dessa forma, não existe apenas um tipo de virtualização. Os mais utilizados pelas empresas são:

  • Virtualização de servidores: diz respeito ao mascaramento de recursos do servidor e tem como objetivo dispensar a necessidade de um servidor físico para cada finalidade, já que um mesmo ambiente pode ser particionado;
  • Virtualização de dados: se relaciona à abstração de detalhes técnicos tradicionais e de gerenciamento de dados (como desempenho, formato e localização);
  • Virtualização de aplicativos: promove a abstração de uma aplicação para longe do sistema operacional, o que permite que o aplicativo funcione de forma encapsulada (mesmo em outro SO);
  • Virtualização de armazenamento: integra diferentes dispositivos em um único hardware de armazenamento comandado por um console central;
  • Virtualização de desktop: trata-se da virtualização da carga de uma estação de trabalho e possibilita que o usuário tenha acesso remoto por meio de um thin client.

São diversas configurações possíveis, o que nos permite extrair muitas vantagens da virtualização. Veja agora quais são os grandes diferenciais para a TI e a empresa como um todo.

7 benefícios da virtualização para sua empresa

Uma estratégia de virtualização bem executada impacta o dia a dia das equipes, o funcionamento da TI e a estratégia de negócios como um todo. Entenda como isso pode transparecer na rotina da empresa.

1. Otimização dos processos

Uma empresa que adota a virtualização dos dados consegue otimizar os seus processos mais facilmente. Isso porque eles se tornam mais automatizados e, consequentemente, mais eficientes. O próprio gerenciamento é centralizado, o que dá uma visão mais ampla dos recursos digitais.

2. Aumento da produtividade

A implementação da virtualização permite que a produtividade do setor de TI aumente devido à eliminação de alguns problemas. Empecilhos ligados a questões de indisponibilidade e de dificuldade de acesso, por exemplo, tendem a ser reduzidos e podem ser solucionados com mais facilidade.

3. Diminuição dos riscos

Todo ambiente digital traz consigo alguns riscos, sobretudo no que diz respeito à violação dos dados. Nesse sentido, a virtualização ajuda a lidar com esses problemas com soluções mais robustas.

Conforme os dados são centralizados em ambientes virtuais, o controle dessa infraestrutura se torna mais fácil. Vale destacar que quanto maior o volume de hardware na empresa, maior o investimento necessário para proteger fisicamente a rede.

4. Compartilhamento de especificações

As especificações criadas por diferentes pessoas podem ser compartilhadas com todos os usuários que acessam os dados virtualizados. Um bom exemplo disso seria a criação de uma estratégia de integração de softwares por API ou outros mecanismos.

5. Linguagem única

A virtualização de dados possibilita o acesso a diferentes source systems através de uma única linguagem. Isso significa que as diferentes interfaces, linguagens e conceitos utilizados por esses sistemas podem ser unificados, facilitando a comunicação entre eles e otimizando processos.

6. Mais conectividade entre dados

A virtualização permite que os usuários acessem dados internos e externos sem a necessidade de saber onde eles estão armazenados. A busca pode ser feita por meio de termos comuns e palavras-chave, por exemplo, e se aplica a qualquer tipo de dado.

7. Redução de custos

Por fim, centralizar e adotar apenas um servidor para concentrar os processos promove uma boa redução de custos. Afinal, os gastos com um único data center para cada sistema, por exemplo, é algo que pode ser bastante custoso.

Além da economia financeira que pode ser alcançada com a redução da manutenção dos hardwares, há também a redução dos gastos energéticos, uma vez que a infraestrutura consome bastante eletricidade.

Conheça a StorageOne

É evidente a necessidade de segurança e eficiência quando se trabalha com dados em TI. Por isso, ao implementar o processo de virtualização de dados na sua empresa, busque o apoio de quem mais entende do assunto para executar esse projeto.

Com mais de 20 anos de experiência no setor, a StorageOne é uma integradora de soluções em tecnologia de infraestrutura para a área de tecnologia da informação. Ela oferece soluções e serviços que ajudam você a promover a virtualização de forma personalizada para atender às demandas específicas do seu negócio.

Quer entender melhor como isso pode ser feito no ambiente da sua empresa? Então, entre em contato conosco agora mesmo!

Desafios e oportunidades em compliance de dados na era digital

compliance desafios e oportunidades

Adotar procedimentos que ajudam uma organização a ter mais foco em resultados e a estar de acordo com as melhores práticas do mercado é um desafio na era digital. Para utilizar as informações de maneira adequada e estratégica, uma alternativa interessante é apostar no compliance de dados.

É fundamental adotar regras claras que norteiam o comportamento de gestores e colaboradores sobre como usar as informações sob a responsabilidade da companhia. Dessa forma, são maiores as possibilidades de minimizar erros e de consolidar uma imagem positiva em um cenário de altíssima competitividade.

Neste artigo, vamos mostrar como o segmento de Tecnologia da Informação pode contribuir para o gerenciamento dos dados ser mais eficiente e seguir os parâmetros mais indicados pela legislação. Confira!

Quais os principais desafios da compliance em TI?

Para o compliance de dados na era digital ser devidamente executado, é crucial que o segmento de TI supere alguns desafios importantes, como:

  • Modificar a cultura organizacional com relação ao uso das informações;
  • Aperfeiçoar o gerenciamento das diversas regulamentações (Lei Geral de Proteção de Dados, Lei Anticorrupção, entre outras);
  • Atuar com foco na comunicação integrada com as demais áreas;
  • Promover avaliações de risco para prevenir eventuais problemas no futuro;
  • Analisar a eficiência das atividades de controle ligadas à Tecnologia da Informação;
  • Monitorar os acessos às fontes de dados corporativos;
  • Normatizar o uso dos ativos de TI de forma estratégica.

Inegavelmente, são diversos fatores que exigem da equipe de Tecnologia da Informação um grande cuidado com a gestão dos dados. Afinal, é preciso apresentar um conhecimento técnico, capacidade de articulação com as demais áreas e um acompanhamento atento das regulamentações.

Como reverter esse cenário?

Há muitas iniciativas que contribuem para elevar a eficiência do compliance de dados. Uma delas engloba o monitoramento do ambiente de TI, que viabiliza acompanhar os processos, a experiência do usuário e a infraestrutura, facilitando a correção de eventuais problemas que possam prejudicar o cumprimento das regras.

Um bom investimento em segurança da informação também é imprescindível para o compliance de dados estar adequado às melhores práticas do mercado. Afinal, essa postura reduz consideravelmente os riscos de roubo e vazamento de informações corporativas, situações que podem causar a aplicação de multas de acordo com as normas da LGPD.

Também é muito importante que haja um trabalho de conscientização junto aos colaboradores para que os recursos tecnológicos, humanos e financeiros sejam utilizados de maneira correta e estratégica. Assim, uma companhia terá menos riscos de infringir a Lei Anticorrupção em virtude de erros relacionados com a imperícia ou a má-fé dos funcionários.

O uso estratégico dos ativos de TI e a educação corporativa são ferramentas valiosas para o compliance de dados ser implantado com inteligência e bom senso. Não adianta impor uma série de regras e investir em soluções de ponta, se os empregados não estão cientes do que deve ser feito para a instituição estar seguindo as normas internas e a legislação.

Como sua empresa pode se beneficiar de uma política de compliance eficiente?

Não há dúvidas de que são muitos os desafios de efetivar, de forma plena, o compliance de dados. Por outro lado, isso não justifica ignorar as vantagens que essa prática proporciona, principalmente, em um cenário de transformação digital.

Com certeza, uma empresa, ao digitalizar os serviços de maneira inteligente, conquista uma vantagem competitiva muito interessante em relação aos concorrentes que não visualizaram a necessidade de oferecer os produtos ao público-alvo de forma mais personalizada.

Ao estabelecer as regras para gerenciar as informações e o estilo de interação com os clientes e demais stakeholders, uma companhia pode contar com uma série de benefícios, como:

  • Minimizar os problemas relacionados a ações judiciais;
  • Adotar boas práticas de segurança de dados;
  • Ter mais chances de alcançar um maior índice de retenção de talentos;
  • Garantir um maior engajamento do público-alvo;
  • Contar com procedimentos mais eficientes e claros para os funcionários;
  • Aperfeiçoar a integração e a comunicação entre os setores;
  • Fortalecer a imagem institucional.

É nítido que o compliance de dados é uma iniciativa que deve ser levada a sério pelas organizações, porque viabiliza estar dentro das normas mercadológicas e governamentais. Além disso, propicia vantagens que agregam bastante valor ao negócio na conjuntura atual.

Como uma consultoria deve auxiliar em seu programa de compliance em TI?

É recomendado que sejam feitas análises periódicas para verificar o grau de conformidade com o compliance. Essa medida tem como aspecto positivo identificar ações essenciais para melhoria dos trabalhos de proteção das informações críticas.

Para isso, é válido contar com uma equipe de especialistas em segurança da informação que vão apontar os melhores procedimentos de compliance de dados. Dessa maneira, é mais fácil adotar as iniciativas ideais para minimizar os riscos de sofrer prejuízos com um ataque cibernético.

Um suporte qualificado ajuda a aperfeiçoar os padrões de conformidade e a seguir as regras de maneira mais confiável e eficiente. Esse apoio também contribui para contar com benefícios importantes que serão apresentados a seguir. Acompanhe!

Orientação especializada

Sem dúvida, a opinião de um especialista colabora bastante para constatar o que pode ser feito para o compliance de dados ser aprimorado de forma contínua.

Atualização constante

Não é fácil acompanhar as mudanças nas regulamentações e leis que envolvem o compliance e a segurança da informação. Com um suporte qualificado, essa tarefa se torna bem mais simples, o que minimiza riscos de infrações.

Mais agilidade em eventuais correções

Por mais que haja um esforço em manter o compliance de dados de acordo com as melhores práticas, pode surgir a necessidade de correções de procedimentos. Isso é executado com muito mais rapidez quando há um apoio especializado. 

Esse conjunto de fatores merece ser analisado com bastante atenção pelos gestores, porque ajudam uma instituição a seguir as normas internas, as regras de mercado e a legislação de forma exemplar. 

Conheça a StorageOne

Com foco em resultados e na melhoria contínua, contamos com uma equipe de especialistas em segurança da informação. O trabalho da StorageOne também prioriza o suporte técnico e diversas atividades, como backup, armazenamento de dados, virtualização e computação na nuvem.

Em um cenário de intensa transformação digital, um suporte de ponta permite que uma companhia tenha mais condições de implantar o compliance de dados com eficiência, agilidade e ótimos resultados.

Para usar a TI de maneira mais estratégica no seu negócio, entre em contato conosco agora mesmo. Estamos à disposição para a sua empresa melhorar de maneira contínua!

Como funciona e quais os benefícios de adotar o Armazenamento de dados em rede?

Qualquer empresa tem nas soluções de tecnologia grandes aliadas para alcançar bons resultados e crescimentos. Além disso, essas ferramentas atuam como ponto crucial nas tomadas de decisões: elas indicam oportunidades, correções e auxiliam no planejamento a curto, médio e longo prazo.

Por outro lado, não há como colher os frutos da tecnologia sem realizar esforços com a infraestrutura – seja para equipamentos ou serviços. E entre essas soluções, a NAS vem se destacando pela flexibilidade com orçamento reduzido – seja para as menores ou as maiores empresas.

Sua variedade de opções entrega tantos benefícios quanto a nuvem, com a vantagem de oferecer maior velocidade. Então, é sobre a NAS e todas as suas vantagens, que falaremos a seguir. Siga conosco e confira!

Entenda o armazenamento de dados em rede (NAS)

Antes de falar sobre o NAS, vale a pena considerar um dado relacionado a essa solução: você sabia que muitas pessoas perdem quase 20% do seu trabalho apenas para procurar arquivos?

Isso acontece porque, muitas vezes, os arquivos estão espalhados em diversos dispositivos, o que causa dificuldades para encontrá-los. Com o NAS (Network Attached Storage), esse é um problema que deixará de existir. Isso porque o aparelho tem arquitetura no nível de arquivos, o que garante facilidade para dispositivos que estiverem na mesma rede dos dados armazenados.

Se, por exemplo, uma equipe está espalhada por todo o estado de São Paulo (o que é normal em tempos de home office) e precisa acessar diversas versões de um determinado arquivo, basta acessar o NAS. Ou seja, é como se fosse um armazenamento em nuvem, mas com a vantagem de ter o tamanho de uma torradeira e ter bem mais velocidade.

Com isso, sua empresa dispensa a necessidade de alugar grandes espaços de armazenamentos em data centers, já que poderá levar o NAS para diversos locais que sejam atendidos pela rede da empresa.

Outra vantagem interessante do NAS, é que seu custo por terabyte é bem menor do que o custo de armazenamento na nuvem, o que faz deste equipamento uma solução financeiramente mais saudável para as empresas.

6 benefícios de implantar um armazenamento de dados em rede

Seja qual for o porte de sua empresa, cada arquivo representa um documento que tem seu valor para o negócio. Nesse sentido, oferecer o melhor armazenamento possível aos seus dados é indispensável.

Com o NAS isso é facilmente resolvido, já que a empresa terá ótimo espaço de armazenamento e acesso rápido às informações sempre que precisar. Confira 6 ótimos benefícios dele para a sua empresa:

1. Armazenamento e acesso centralizado aos arquivos

O acesso aos arquivos armazenados no NAS pode ser realizado tanto no escritório, quanto remotamente, o que beneficia diversos membros de uma mesma equipe. Além disso, o sistema de segurança do NAS é altíssimo, já que apenas pessoas autorizadas poderão acessar os arquivos.

2. Backup automatizado

O NAS também conta com sistema automatizado de backup que pode ser utilizado por diferentes dispositivos, em diferentes localidades. Vale lembrar que essas soluções são imprescindíveis para qualquer empresa, já que garante que arquivos com informações valiosas sejam armazenados com total segurança.

3. Fácil configuração

Os dispositivos NAS são muito intuitivos, o que facilita bastante sua configuração. Dessa forma, você não precisará mais do que alguns minutos para começar a armazenar seus arquivos e programar backups.

Em caso de dificuldades, sempre vale a pena contar com um parceiro fornecedor para agilizar os passos. O acesso também é simples, pois tem interface baseada na web – algo familiar a qualquer usuário.

4. Diminuição dos custos com hardwares

Ao escolher o armazenamento com NAS, os computadores da empresa poderão contar com discos rígidos mais simples, de menor preço. E dependendo da escala de equipamentos, essa poderá ser uma enorme economia nos negócios.

5. Flexibilidade para uso no escritório ou home office

Os dispositivos NAS são especialmente flexíveis em seu uso, o que faz dessa uma solução interessante para empresas e profissionais alocados em home office.

Com planos de assinaturas bastante acessíveis, o NAS pode, e deve, ser considerado uma peça importante em qualquer esforço de investimentos para a TI.

NAS ou nuvem: qual a melhor opção para a sua empresa?

1. Capacidade de armazenamento

Como já citamos, uma grande vantagem do NAS é seu custo por terabyte armazenado. Na comparação, serviços em nuvem acabam elevando os custos, já que demandam a locação de data centers espalhados em diferentes regiões.

Ainda que o NAS demande um custo maior em sua aquisição, em poucos meses a utilização comparada à nuvem trará um custo x benefício melhor. Com isso, os custos de investimento com o NAS serão amortizados.

2. Backups

A atualização dos backups é sempre importante – mesmo para quem opta por armazenamento em nuvem. E é nesse sentido que a nuvem acaba tendo custos mais elevados. Isso porque os dados replicados para outro site, entre outras soluções de backup, acabam elevando os custos com o armazenamento.

Com o NAS, os backups estão direcionados e não demandam novos custos para o armazenamento.

3. Expansões

Plataformas em nuvem são facilmente escaláveis. Mas isso também aumenta os custos conforme a necessidade da empresa. Com o NAS, a empresa tem maior controle sobre o que está contratando e sabe que pagará somente por aquilo que usar.

Vale dizer que o espaço de armazenamento do NAS pode chegar facilmente a 576 TB utilizando 36 hard disks em apenas 6U do rack.

4. Desempenho

O armazenamento local sempre será mais rápido na comparação com serviços em nuvem. Isso porque, com a nuvem, há um comprometimento da banda, o que pode até causar lentidão no sistema.

Com o NAS, a taxa de transmissão alcança 10 Gigabits, algo impensável para serviços de armazenamento em nuvem.

O NAS pode ser nuvem, mas a nuvem nunca poderá ser NAS

O NAS permite a criação de nuvens privadas ou fora da rede local, assim como outros serviços de nuvem pública. A utilização dele como nuvem permite registros em LOG de acessos, hierarquização de autenticação, proteção de dados e privilégios gerenciados via software.

Modernize sua infraestrutura com a StorageOne

Soluções com NAS, é na StorageOne, uma empresa especializada em soluções de backup, armazenamento e segurança de dados e virtualização em nuvem.

Com 20 anos atendendo empresas dos mais diferentes portes e segmentos, a StorageOne oferece serviços customizados conforme as principais necessidades. A atuação parte de três pilares principais: segurança, desempenho e compliance, sempre com a preocupação de seguir normas regulamentares, como a LGPD.

Fale agora mesmo com um analista da StorageOne sobre as soluções com NAS e garanta o melhor tipo de armazenamento local para a sua empresa!

Read More

Armazenamento de objetos: Quais suas diferenças em relação ao armazenamento em blocos?

armazenamento de objetos

Uma dúvida bastante comum em empresas está na escolha entre armazenamento de objetos ou armazenamento em blocos. Para quem está perdido, essas são algumas das maneiras de organizar, arquivar e apresentar os dados de uma companhia.

Na verdade, há inúmeras maneiras de realizar esse processo, mas essas acabam sendo as mais utilizadas. Dessa forma, se faz interessante compreender seus conceitos antes de optar por uma ou outra.

Para entender os contrastes entre o armazenamento de objetos e em blocos, confira o texto abaixo. Nele, você poderá entender o que cada um oferece, bem como suas vantagens e desvantagens.

O que é armazenamento em blocos?

Para iniciar esse debate entre as alternativas citadas anteriormente, é bom entender do armazenamento em blocos.

Com esse fim, se faz preciso, antes de tudo, compreender o que são esses blocos. De forma resumida, podem ser considerados como uma grande quantidade de dados agrupada. Antigamente, eram de 512 bytes, e atualmente são 4K.

Sendo assim, o computador possui uma liberdade para armazenar esses blocos aonde for mais conveniente. Espaços pequenos podem ser utilizados para arquivos menores, enquanto espaços grandes admitem um maior número de blocos.

Essa escolha, porém, ficará a cargo do sistema, que buscará a solução mais interessante. Por conta dessas características, a recuperação de dados é mais rápida e eficaz.

Vantagens de adotar o armazenamento em blocos

Inúmeros são os benefícios de optar pelo armazenamento em blocos em detrimento ao armazenamento de objetos. Entre eles, pode-se citar como principais:

  • Centralização: Aqui, há uma centralização dos dados em menos dispositivos. Com isso, os administradores do sistema possuem maior controle sobre o a utilização do armazenamento.
  • Backup: Essa centralização permite a criação de diversos point-in-time, ou seja, pontos de recuperação. Esse fator representa, para a empresa, um backup constante de toda sua informação.
  • Desempenho: A divisão dos blocos em diversos dispositivos permite que os servidores trabalhem com maior agilidade. Na prática, isso significa altas taxas de transferência e desempenho melhorado.
  • Conectividade: Diversos aplicativos utilizados no mercado atual estão preparados para se conectar ao sistema. Dessa forma, eles conseguem utilizar o armazenamento em blocos para melhorar seu desempenho e oferecer serviços mais rápidos à companhia.

O que é armazenamento de objetos?

Ao contrário do item visto acima, o armazenamento de objetos utiliza de outra técnica para arquivar dados.

Nesse caso, eles são divididos em pedaços e, posteriormente, distribuídos pelo hardware. Em vez de se tornarem pastas ou blocos, eles são fragmentados em unidades separadas, nomeadas de objetos. Cada um desses conta com um identificador, que somente pode ser acessado por usuários permitidos.

Para utilizá-lo em sua companhia, basta uma simples interface de API HTTP, já utilizada na maioria das organizações. Sendo assim, essa é uma alternativa mais econômica e acessível a mais consumidores.

Além disso, há a vantagem de pagar somente pelo que se utiliza, e não pelo total do pacote. Em geral, é indicado para dados estatísticos e apresenta escalabilidade superior aos concorrentes. 

Vantagens de adotar o armazenamento de objetos

Assim como a opção mais acima, o armazenamento de objetos também possui diversas vantagens. Entre esses benefícios, pode-se destacar:

  • Proteção: Essa é uma maneira muito mais segura de arquivar seus dados, visto que todos os objetos são codificados. Assim, mesmo que haja falhas no hardware, suas informações estarão protegidas.
  • Escalabilidade: Em geral, os dispositivos para este tipo de armazenamento podem acomodar diversos petabytes. Isso significa que a capacidade de arquivamento deles chega aos bilhões de objetos. O crescimento de sua empresa não será problema aqui.
  • Suporte à IoT: Também conhecida como Internet das Coisas, o IoT representa o futuro da tecnologia. Com isso, é normal compreender que dispositivos com suporte a esses recursos serão muito úteis num futuro bastante próximo.
  • Recursos: Por conta da tecnologia empregada em sua construção, este modelo de armazenamento é excelente para espelhar data centers. Assim, em caso de falha destes se faz possível continuar o trabalho normalmente.

Armazenamento em blocos x Armazenamento de objetos: Qual o modelo ideal para sua empresa?

Sem dúvida alguma, ambas as opções citadas neste texto são interessantes, se adequando, porém, a diferentes situações. Tanto o armazenamento de objetos quanto o em blocos se mostram como soluções que auxiliam empresas a armazenar e cuidar de todos seus dados. Para investir nesse mercado, entretanto, o mais indicado é contar com parceiros com conhecimento e experiência no assunto.

Com mais de 20 anos de atuação no mercado de gestão de dados, a StorageOne é a parceria que você precisa. Focada na segurança das informações, virtualização, nuvem, backup e proteção de dados, a empresa oferece tudo que você pode necessitar. Além disso, desenvolve o projeto de acordo com a sua situação, pensando sempre em segurança, desempenho e compliance.

Ficou interessado? Entre em contato com um especialista da StorageOne para mais informações.

 

Read More